Seguidores

quinta-feira, 6 de julho de 2017

ETs na Bíblia e em outros livros sagrados: 5 passagens sugerem que eles estiveram aqui

Escritos há muito tempo atrás, os livros sagrados para diversas religiões estão cheios de metáforas interpretativas. Como a humanidade naqueles tempos não tinha o nível de conhecimento que temos hoje, ela procurava explicar fenômenos por meio de interpretações religiosas.


Assim, os gregos, por exemplo, explicavam que a primavera e o verão eram épocas em que uma determinada deusa ficava livre e quando as flores caiam e o tempo esfriava ela precisava pagar uma penitência no inferno. Com o nível de conhecimento científico que temos hoje, podemos entender que certas passagens bíblicas que falam de intervenções divinas podem ser interpretações de fenômenos da natureza, como uma forte tempestade ou um furacão.

Partindo disso, o estudo da ufologia, área que investiga aparições de objetos voadores não identificados (UFO, na sigla em inglês), afirma encontrar nas escrituras sagradas indícios de contato extraterrestre com a humanidade da época. Vale lembrar que se tratam de interpretações de trechos, no mínimo, bem interessantes e suspeitos, como naves que lançavam raios ou carroças de fogo caindo do céu.


ETs existem? O que diz a Bíblia e outros livros sagrados

Carroça de fogo de Ezequiel
Escrito por volta de 593 a. C., um relato que abre margem ufológica para interpretação é o livro de Ezequiel. O profeta relata o avistamento de uma carroça com rodas de fogo caída do céu. O veículo teria quatro animais alados que se movimentavam juntos e, acima deles, haveria uma estrutura maior de metal brilhante.

Para o escritor suíço Erich von Däniken, autor do livro “Eram os Deuses Astronautas?”, de 1968, as palavras de Ezequiel claramente se tratam de um avistamento de nave alienígena. Segundo o suíço, ele estaria presenciando o pouso de uma aeronave.

O livro de Enoque

Enoque foi um profeto que, segundo as escrituras bíblicas, viveu antes do dilúvio e, inclusive, era da família de Noé, tendo vivido antes dele e relatado o nascimento do futuro construtor da arca. Enoque narra que anjos vieram à Terra e tiveram uma relação bem próxima com os humanos: tiveram filhas e filhos com a gente. “Esses seres angelicais ensinaram aos terrestres a astronomia, noções de meteorologia e, de maneira surpreendente, a prática do aborto”, explica Marco Antonio Petit, um dos ufólogos mais respeitados do país e autor de nove livros sobre o tema, numa reportagem para a Revista Ufo.

O mais surpreendente no livro do profeta, no entanto, não é essa parte dos anjos. Segundo as escrituras, Enoque teria visitado “uma estranha habitação” nos céus, feita inteira de cristais.

“Nuvens e névoa convidaram-me estrelas agitadas e brilho de relâmpagos impeliram-me e pressionaram-me adiante, enquanto ventos na visão assistiram meu voo, acelerando meu progresso. Eles elevaram-me no alto ao céu. Eu prossegui, até que cheguei próximo de um muro construído com pedras de cristal. Uma chama de fogo vibrante rodeou-o, a qual começou a golpear-me com terror. Nesta chama de fogo vibrante eu entrei e aproximei-me de uma espaçosa habitação, também construída com pedras de cristal. Seu telhado tinha a aparência de estrelas agitadas e brilhos de relâmpagos. Uma chama queimava ao redor dos muros e seu portal queimava com fogo. Quando eu entrei nesta habitação, ela era quente como fogo e fria como o gelo. Nenhum traço de encanto ou de vida havia lá”.

“Tudo parece indicar que Enoque visitou algum tipo de estação espacial”, interpreta Petit. “Sua descrição não é muito diferente dos depoimentos atuais relacionados às abduções”.


Veículos voadores da Índia
RUDRA NARAYAN MITRA/SHUTTERSTOCK

A literatura antiga e sagrada da Índia descreve um tipo bem curioso de transporte: as Vimanas. Citadas em um dos textos mais antigos da humanidade – o maior poema de todos os tempos, aliás – o Mahabarata diz que essas carroças ou palácios voadores disparavam projéteis carregados “com todo o poder do universo”.

Há trechos, compilados por volta do século 4 a. C. mas muito mais antigos que isso na tradição oral, falando sobre “uma coluna incandescente de fumaça e fogo, tão brilhante quanto 10 mil sóis, uma arma desconhecida, um raio de ferro, um gigantesco mensageiro da morte”.

O rei sumério que viu a Terra de cima
O poema épico mais antigo da humanidade foi escrito pelos sumérios e compilado em tábuas por volta do século 7 a. C. relata a Epopeia de Gilgamesh, um rei semideus desse povo. Vários ufólogos acreditam que o texto narra diversos encontros de humanos com tecnologias que não poderiam ser daquela época.


Um dos exemplos é a passagem em que o protagonista vê uma porta que fala. “Não hesitamos em identificar esse fenômeno singular como o produzido por um alto falante”, defende o escritor suíço Däniken.
GILMANSHIN/ISTOCK

Outro trecho mais estranho ainda é quando Gilgamesh é capturado pelas “garras de bronze” de uma águia que o leva muito alto ao céu. Quando perguntado pelo pássaro o que estava vendo, o herói descreveu que “a Terra parecia um mingau de farinha, e o mar era como uma barrica d'água". Para Däniken, alguém deve ter visto o planeta de cima e contado seu ponto de vista. “Acertado demais é o relato para poder ser puro produto da imaginação”, argumenta o escritor.
HUNG_CHUNG_CHIH/ISTOCK
Segundo mitologia chinesa, o Imperador Amarelo Huangdi veio dos céus na barriga de um dragão. Esse animal mitológico era o meio de transporte do imperador, tido como o primeiro soberano da China. Como a lenda fala que certo dia o dragão voou aos céus e não voltou mais, ufólogos consideram que seja a interpretação de uma nave na qual Huangdi viajava.

GUILHERME ATHAIDE
Fonte
Curta Nossa Página no Facebook
Sua partilha é muito importante e nos ajuda a continuar criando conteúdo. COMPARTILHE! Clica logo ali mais abaixo. Obrigado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa Página...
Visite nosso parceiro:
Conheça nosso Parceiro: UNIVERSO CÉTICO