Seguidores

Visitas

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Bola gigante de “aparência bizarra” aparece no meio do oceano e assusta pescadores

Mark Watkins, de 36 anos, pescava junto com seu pai perto de Bunbury, sul de Perth, na costa da Austrália Ocidental, quando avistou uma gigantesca bola de “aparência bizarra” flutuando próxima à embarcação.
A princípio, a dupla pensou ser um barco ou balão de ar quente, mas, enquanto eles se aproximavam, peixes famintos apareceram e devoraram a estranha formação, segundo informações do jornal The West Autralian.

Logo, eles notaram que poderia se tratar de uma carcaça de baleia, e que a forma redonda seria seu estômago inchado por gases. “Quando nos aproximamos, percebemos que tinha de ser uma baleia morta, por causa do cheiro”.
As imagens tiradas por Watkins mostram a carcaça do animal com uma pele completamente esticada e de cor rosada. Segundo eles, em tantos anos de experiência com pesca em alto-mar, nunca tinham visto nada parecido.
Logo, os tubarões famintos apareceram e se alimentaram da carcaça flutuante. Segundo Watkins, eles estavam a cerca de quatro metros de distância da cena, mas puderam notar a presença dos predadores, que logo desinflaram o estômago do animal morto.  

As baleias Jubarte são predominantes na região da Austrália Ocidental e costumam migrar em conjunto. A espécie é frequentemente vista na região entre os meses de junho e agosto.
Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Facebook ]

Veja alguns truques e funções secretas do pen drive que quase ninguém conhece

Práticos e portáteis, os pen drives surgiram para acabar com o incômodo processo de carregar disquetes e até mesmo CDs. Capazes de comportar até 100 GB de conteúdo, eles são dispostos no mercado em diversas formas, modelos, cores e capacidade de armazenamento. No entanto, eles também escondem funções inusitadas, tais como: dar boot em um computador, entrar na internet, aumentar a capacidade de segurança de seus dados e muito mais. Abaixo você confere seis desses truques e “funções secretas”.

1 – Aumentar a segurança dos arquivos
Você pode criptografar seu pen drive para aumentar a segurança dos dados. Para isso, é preciso adicionar uma senha pessoal para acessar os arquivos. Dessa forma, quando você plugar o dispositivo, precisará de uma confirmação de senha para seguir em frente. Esse recurso é feito pelo computador através de programas especializados, como o chamado BitLocker, por exemplo.

2 – Aumentar a segurança no computador
Por meio de programas específicos, como o Predador, você pode deixar seu PC mais seguro apenas utilizando um pen drive. Esses programas transformarão o dispositivo em uma chave de acesso para o computador, que será atualizado automaticamente, e ainda monitorará o funcionamento do sistema. Assim, quando o pen drive for retirado, o PC será novamente bloqueado, evitando que qualquer pessoa acesse seus dados.

3 – Conectar na Internet
Você pode copiar as informações da sua rede sem fio particular e pré-programar um acesso por meio do pen drive. Isso será bem útil para quem tem vários computadores em casa e não quer ficar perdendo tempo configurando cada um deles com os dados da rede. O processo é feito pelo próprio sistema, e clicando aqui você confere um tutorial para fazê-lo.

4 – Aumentar a velocidade de processamento e dar um ‘up’ na memória RAM
Através do pen drive você também pode aumentar a velocidade de processamento do PC e ainda dar uma melhorada na memória RAM. Para fazer isso, você precisará instalar programas específicos, como o eBoostr, capaz de criar um método de expansão da RAM, via entrada USB 2.0. Nos computadores mais antigos esse processo pode ajudar a melhor na lentidão do sistema.
5 – Aliviar a memória do celular
Se o seu celular não tem memória expansível, este é um ótimo recurso. Se você comprou um smartphone com pouca memória, pode adquirir um pen drive para celular, que funciona por meio da entrada do carregador e funciona como um convencional. Nele você armazenar fotos, vídeos e demais arquivos, sem precisar utilizar um computador. Os modelos disponíveis no mercado comportam sistemas de iPhones e Androids e os preços variam entre R$30 e R$600.

6 – Pode ser usado para iniciar um sistema e formatar um computador
Você também pode utilizar seu pen drive para ligar um computador (boot). Esse truque pode ser útil se você estiver tentando instalar um sistema operacional em um computador que não possui leitor de CDs ou DVDs. O processo para a instalação de um novo sistema operacional na máquina pode ser feito por meio de uma plataforma mais recente da Microsoft, para Windows 10, liberada gratuitamente para os usuários. Ainda, é possível formatar um computador apenas pelo pen drive, conforme explicado neste tutorial.
Techtudo ] [ Foto: Reprodução / Internet ]

Milagre de 627 anos não se repete e prenuncia catástrofe para 2017 Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/sociedade/religiao/milagre-de-627-anos-nao-se-repete-prenuncia-catastrofe-para-2017-20682554#ixzz4TfSHrcjP © 1996 - 2016. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Liquefação do sangue seco de São Januário acontece em três datas por ano

Um milagre católico que se repete desde 1389 não se repetiu em 2016 e pode prenunciar coisas ruins para o ano que vem. O sangue seco armazenado de São Januário se liquefaz em três datas anuais, incluindo 16 de dezembro. Dessa vez, no entanto, na cerimônia que aconteceu na sexta-feira, o milagre não aconteceu.

Papa durante liquefação do sangue de São Januário no ano passado
(Foto: AFP)
Segundo O Globo, a tradição determina que quando a liquefação não acontece está prenunciado um grande desastre. Isso aconteceu poucas vezes nos últimos 627 anos. Em uma delas, no ano de 1527, milhares morreram vítimas da praga. Já em 1939, houve o começo da Segunda Guerra Mundial.
Ao jornal "La Stampa", o monsenhor Vincenzo De Gregorio, abade da Capela Real do Tesouro de São Januário em Nápoles, na Itália, tentou minimizar o ocorrido. "Nós não devemos pensar em desastres e calamidades. Nós somos homens de fé e devemos continuar rezando".
O milagre da liquefação acontece no sábado antes do primeiro domingo de maio, como homenagem à Virgem Maria; em 19 de setembro, que é o dia de São Januário; e no dia 16 de dezembro, referência à erupção do Monte Vesúvio de 1631 - uma estátua do santo exposta para o vulcão teria ajudado a conter o desastre.
São Januário foi um bispo que se opôs à perseguição romana e foi condenado à morte por decapitação em 305, conta a tradição. Ele teve o corpo e a cabeça recolhidos por um senhor e uma mulher encheu um frasco com seu sangue, que hoje segue guardado na relíquia.

O que acontece se um astronauta tirar seu capacete no espaço?

Já vimos essa cena infinitas vezes na TV e no cinema, mas o que realmente aconteceria a um astronauta se ele fosse lançado no vácuo sem seu traje espacial? E a realidade é tão ou mais surpreendente que a ficção.

Primeiro, todo o ar de seus pulmões seria expelido a uma grande velocidade, causando a ruptura dos milhões de alvéolos do sistema respiratório. Segundos depois, ele sofreria as consequências da falta absoluta de oxigênio, conhecida como anóxia, enquanto seus intestinos seriam esvaziados. Em seguida, viria a lei de Boyle, que afirma que a pressão é inversamente proporcional ao volume: ao não ter pressão no espaço, todo o líquido do organismo entraria em ebulição (o sangue, a saliva, as mucosas do nariz e os olhos).


Além disso, o corpo se incharia completamente, até ter sua tensão igualada à do exterior, provocando uma dor intensa. Se ele estiver diante da luz de uma estrela, seu corpo todo se queimaria, junto com o cabelo e os pelos. Caso contrário, ele estaria a centenas de graus abaixo de zero, mas conservaria o calor, já que, no vácuo, ele não pode ser dissipado. Após 15 segundos dessa tortura, o sangue, sem oxigênio, chegaria ao cérebro, e o astronauta ficaria inconsciente. Supreendentemente, seu coração continuaria batendo por cerca de 3 minutos e meio, e, por isso, ele ainda teria chances de sobreviver.

Fonte: Gizmodo
Imagem: Marc Ward/Shutterstock.com

O que um impacto de asteroide no oceano poderia significar para a vida na Terra?



Ao considerar a possibilidade de um impacto entre um asteroide e a Terra, rapidamente pensamos num cenário catastrófico com milhões de mortes e destruição.
No entanto, dado o fato de que 70% de nosso Planeta é composto por água, seria mais provável que a gigante massa destrutiva atingisse algum ponto dos oceanos. De qualquer forma, o que isso significaria para humanidade? Conforme apontado pela Science Alert, e de acordo com um estudo feito por cientistas do Laboratório Nacional de Los Alamos, a resposta é um pouco complicada.

Laboratório Nacional de Los Alamos

Por meio de simulações em 3D, a equipe tentou ver exatamente que nível de ondas de choque e de dispersão de água seriam causadas pela queda de um asteroide no mar – e se tudo isso seria suficiente para desencadear um tsunami. No entanto, enquanto um impacto inicial poderia gerar ondas de centenas de metros – ou até mesmo quilômetros de altura -, a menos que ocorresse perto de uma costa, um tsunami devastador seria improvável.

As ondas de choque geradas por impactos pontuais, como um asteroide, são consideradas relativamente curtas em comparação a distúrbios mais generalizados, como um terremoto, por exemplo. Essa diferença significa que as ondas resultantes de um impacto por asteroide não se propagariam em uma grande distância.
Considere que um asteroide caia no oceano dentro de um limite entre 10 a 20 quilômetros de distância de uma praia bem populosa, os efeitos seriam devastadores, resultando em grandes inundações, ondas de choque no ar, altas temperaturas e ventos com força de furacões. Agora, se este mesmo asteroide fosse destruído ainda no ar, a enorme quantidade de fragmentos menores – os chamados airbust – modificaria bastante estes efeitos.

Enquanto que os fragmentos resultariam em milhares de impactos moderados sobre uma área ainda maior, as ondulações de choque seriam menores, o que diminuiria as chances de tsunamis. Contudo, embora a incidência de tsunamis seja baixa, se um asteroide atingisse o mar, ainda correríamos grandes riscos. Uma vez que atingisse a água, poderia causar vaporização e esse vapor, ao atingir a estratosfera, pode permanecer ali por meses ou anos. Considerado que o vapor da água é um gás de efeito estufa, o evento poderia levar a efeitos climáticos duradouros.

Os resultados do estudo em questão foram apresentados recentemente em um encontro, American Geophysical Union Fall Meeting, em San Francisco, mas ainda não foram publicados. No entanto, uma vez que outros cientistas revisem os dados, teremos mais certeza sobre o que foi proposto.


Science Alert ] [ Foto: Reprodução / Science Alert ]

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Descobriram algo absolutamente estranho depois de drenarem este canal pela primeira vez

O Canal Saint-Martin em Paris é um dos canais mais antigos e belos da cidade. Mas este canal de 4,5 quilômetros é também um dos mais sujos e precisa ser limpo periodicamente.
As autoridades municipais recentemente drenaram e limparam o canal pela primeira vez desde 2001, removendo mais de 40 toneladas de detritos. Mas apenas lixo comum foi encontrado no processo. Milhares de artefatos foram puxados da lama, e são objetos que variam de fascinantes a completamente bizarros.
O Canal Saint-Martin em Paris, França, tem uma história muito rica. Sua construção foi ordenada por ninguém menos que Napoleão em 1802. Ele foi projetado para trazer água fresca para a população da cidade que estava em rápido crescimento. Ele também é uma avenida para o comércio.

Na medida mais francesa possível, o financiamento foi adquirido através de um imposto sobre o vinho. Mas à medida que a cidade crescia, o canal sofria uma enorme pressão. Hoje, apesar de ter uma paisagem cinematográfica, se transformou em principalmente um lixão aquático. As autoridades da cidade limparam recentemente o canal pela primeira vez desde 2001.

Os trabalhadores desceram para o leito do canal para iniciar o processo de limpeza. Até agora, eles removeram mais de 40 toneladas de lixo.
É uma visão bizarra para os moradores da cidade. A água ainda é tão baixa que você pode praticamente atravessá-lo andando.
Eles encontraram um monte de garrafas de vinho.
Mas havia muito mais coisas também.
As pessoas pareciam ter abandonado milhares de bicicletas, motos e ciclomotores.
Alguns pareciam ter sido jogados recentemente.
Mas a maioria dos artefatos eram bastante antigos. Embora fossem principalmente objetos cotidianos, pareciam ter certa validade histórica.
Para os trabalhadores, era como entrar no rico passado da cidade.
Muitos dos moradores da cidade se reuniram para assistir à limpeza.
Eles não poderiam pegar nada e queriam ver o que os trabalhadores tirariam de lá.
Boredom Therapy ] [ Fotos: Reprodução / Boredom Therapy ]

Espanha revela dezenas de arquivos sobre avistamentos de óvnis

Oitenta novos documentos foram tornados públicos pelo Min. da Defesa da Espanha, com informações sobre supostos avistamentos entre 1962 e 1995.

As quase 1900 folhas dos arquivos estão agora disponíveis na biblioteca virtual desse órgão.

Um dos fatos de destaque nos arquivos revelados foi o ocorrido em 25 de fevereiro de 1980, quando um dos aviões da Força Aérea no qual viajava o então presidente espanhol, Adolfo Suárez, relatou o avistamento de um objeto voador não identificado.

Outro documento fala sobre um evento em 28 de novembro de 1979, quando um grupo de pessoas afirmou ter observado dois óvnis nos céus de Madri. No entanto, quando um avião de emergência saiu à sua procura, não conseguiu encontrá-los, embora tenha sido contatado quatro vezes através do radar.
Fonte: Europa PressImagem: Arturo Escorza Pedraza/Shutterstock.com

Cristãos estão em choque: Cientistas conseguem reconstruir rosto de homem da cidade bíblica de Jericó

Cientistas reconstruíram o rosto de um homem que viveu 9500 anos atrás na cidade bíblica de Jericó. Seu rosto foi recriado a partir do crânio guardado no Museu Britânico. Este é uma dos sete crânios misteriosos que os arqueólogos descobriram em 1953, em Jericó.
Infelizmente os cientistas foram incapazes de extrair o DNA do crânio, caso contrário, a reconstrução seria muito mais precisa. Poderíamos aprender não só a figura, mas a cor de seus olhos e cabelos. ''Nós não extrairmos o DNA com medo de destruir os ossos frágeis deste crânio'', disseram os pesquisadores.
Os cientistas dizem que este homem morreu em uma idade madura. Por razões desconhecidas, o crânio tem uma deformidade e estranhamente alongada. O crânio de Jericó  é muito misterioso. Eles foram cobertos com argila e em seguida, pintado com vários padrões. Mas, ao mesmo tempo cada uma dessas cabeças, tiveram características individuais. Por alguma estranha razão todos os dentes dos crânios foram quebrados. Segundo os cientistas, isso foi feito depois da morte, cujo crânio foi então exposto a a um ritual misterioso.

Leia se você estiver cansado de tudo

Todos nós nos cansamos, e não apenas no sentido físico. Às vezes nos esgotamos de tal maneira que ficamos sem forças. Queremos desistir de tudo e nos distanciar do mundo. Mas certamente isso não é a solução.
O mundo em que vivemos é muito cansativo. É muito ingrato. Você está cansado simplesmente por viver nele. Você está cansado de amar muito, dar algo ao mundo que nunca lhe dá nada em troca. Você está cansado da incerteza e da monotonia da vida cotidiana.
Você já esteve cheio de belas esperanças, o otimismo superava o cinismo e se sentia pronto para recomeçar. Mas, após ter o coração despedaçado, promessas não cumpridas e planos fracassados, você sente que perdeu tudo. O mundo nem sempre lhe tem sido bom, você perdeu mais do que ganhou e agora não sente absolutamente nenhuma inspiração para tentar novamente. Entendo.
A verdade é que estamos todos cansados. Cada um de nós. Ao chegar a uma certa idade, não somos mais do que um exército de corações partidos e almas doloridas buscando desesperadamente pela harmonia. Queremos mais, mas estamos cansados demais para pedir. Não gostamos de onde estamos agora, mas estamos com muito medo de começar algo do início. Temos de assumir riscos, mas sentimos medo de ver como tudo em nosso entorno pode simplesmente desmoronar. No final, não temos certeza de quantas vezes podemos começar tudo de novo.
Outra verdade é que estamos cansados uns dos outros. Estamos cansados dos jogos que jogamos, das mentiras que contamos a nós mesmos, da incerteza que semeamos entre nós. Não queremos usar máscara, mas tampouco queremos continuar a ser tolos e ingênuos. Temos de jogar nossos odiados papeis e fingir sermos alguém, porque não temos certeza da nossa escolha.
Eu sei quão difícil é seguir fazendo algo ou fingir fazer novas tentativas, quando já estão acabando as forças mentais. E aqueles ideais otimistas que estavam tão próximos parecem inatingíveis e ilógicos. Mas já que você está tão perto de desistir de tudo, vou pedir-lhe uma coisa: tente de novo, com todas as suas forças!
Somos muito mais resistentes e alegres do que podemos imaginar e isso é uma verdade inquestionável. Somos capazes de dar mais amor, mais esperança, mais paixão do que damos hoje. Queremos resultados imediatos e desistimos se não os vemos. Estamos desapontados com a falta de respostas e deixamos de tentar.
Você entende que nenhum de nós consegue estar inspirado todos os dias. Todos ficamos chateados e cansados. O fato de você se sentir exausto e cansado da vida não significa que esteja imóvel. Cada pessoa que você já admirou, quando buscou seus sonhos, também já falhou algum dia. Mas isso não o impediu de alcançar seus objetivos. Não desista, não importa o que você esteja fazendo, seja uma tarefa comum ou planos grandes e magníficos.
Quando estiver cansado, vá devagar. Mova-se com calma, sem pressa. Mas não pare! Você está cansado por razões objetivas. Sente-se esgotado porque está mudando e fazendo muitas coisas. Está exausto porque está crescendo. Algum dia este crescimento poderá realmente lhe inspirar.
Fonte: thoughtcatalog
Tradução e adaptação: Incrível.club

Ministro iraquiano afirma que sumérios viajaram para Plutão

Segundo Kazem Finjan, os sumérios construíram um aeroporto há 7.000 anos e foram os primeiros seres humanos a viajar para o espaço
Templo Ziggurat de Ur, no Iraque (Thaer Jebur/iStock/Getty Images)
O ministro dos Transportes do Iraque, Kazem Finjan, afirmou na semana passada que os sumérios, membros de uma antiga civilização que viveu no sul do país há mais de 7.000 anos, viajaram para Plutão em espaçonaves.
Segundo Finjan, a antiga civilização construiu o primeiro aeroporto do mundo por volta do ano 5.000 a.C.. Durante uma coletiva de imprensa na província de Dhi Qar, no sul do país, o ministro também afirmou que os sumérios foram os primeiros seres humanos a viajar para o espaço. E mais: eles teriam descoberto Plutão.

Segundo o jornal The New Arab, Finjan utilizou os estudos de um professor russo especialista na história da civilização suméria para justificar suas afirmações. O estudioso Samuel Kramer investigou os mitos da criação da civilização e escreveu sobre sua compreensão do Sistema Solar.
Acredita-se que os sumérios se instalaram no sul da Mesopotâmia, agora sul do Iraque, entre 5500 4000 a.C., onde desenvolveram habilidades em agricultura, comércio e artesanato.
Muitas ruínas de antigas cidades sumérias foram encontradas na região de Dhi Qar, entre elas o templo Zigurate de Ur, que foi escavado na década de 1930 e desde então tem sido parcialmente restaurado. “O primeiro aeroporto que foi estabelecido no planeta Terra foi neste lugar”, afirmou Finjan sobre o templo.

Prefeita entrega cidade a Jesus Cristo

A prefeita de Sapezal, a 300 km de Pontes e Lacerda, assinou um decreto inusitado, tendo causado espanto e estranheza em grande parte da população daquele município.
Ilma Grisoste Barbosa, no final do mandato, decretou que as chaves do município foram entregues a Deus e que “todos os setores da prefeitura estarão sobre a cobertura do Altíssimo”.
Entre outras decisões que alcançam o campo espiritual, a prefeita considerou “cancelados, em nome de Jesus, todos os pactos realizados com qualquer outro Deus ou entidade espiritual,de forma irrevogável “
O decreto foi emitido na última segunda-feira (19/12) e, como qualquer outro dispositivo legal, deve valer após a publicação.

Evidência de uma civilização avançada: ''Pesquisadores descobrem um reator nuclear de 2 bilhões de anos na África''

Dois bilhões de anos atrás partes de um depósito de urânio Africano sofreu espontaneamente a fissão nuclear

Em 1972, um trabalhador em uma fábrica de processamento de combustível nuclear notou algo suspeito em uma análise de rotina de urânio obtido a partir de uma fonte mineral da África. O material sob estudo continha três isotopos- três formas com diferentes massas atómicas: urânio 238, a variedade mais abundante; de urânio 234, o mais raro; e urânio 235, o isótopo que pode sustentar uma reação nuclear em cadeia. Durante semanas, os especialistas na Comissão Francesa de Energia Atômica (CEA) mantiveram-se perplexos.

Em outros lugares da crosta terrestre, na Lua e mesmo em meteoritos, podemos encontrar urânio 235 átomos que representa apenas 0,720 por cento do total. Mas nas amostras que foram analisadas, que vinham do depósito de Oklo no Gabão, uma antiga colônia francesa na África Ocidental, o urânio 235 constituíam apenas 0,717 por cento. Essa pequena diferença foi suficiente para alertar cientistas franceses que havia algo muito estranho acontecendo com os minerais. Estes pequenos detalhes levaram a novas investigações que mostraram que pelo menos uma parte da mina foi bem abaixo da quantidade normal de urânio 235: alguns 200 kg parecia ter sido extraída no passado distante, hoje, esse montante é suficiente para fazer metade de um dúzia de bombas nucleares. Logo, pesquisadores e cientistas de todo o mundo reuniram-se no Gabão para explorar o que estava acontecendo com o urânio de Oklo.

O que eles viram em Oklo surpreendeu a todos ali reunidos, o local onde o urânio teria originado é realmente um reator nuclear subterrâneo avançado que vai muito além das capacidades do nosso conhecimento científico atual. Os investigadores acreditam que este reactor nuclear antigo é de cerca de 1,8 bilhões de anos e manteve-se ativo por pelo menos 500 mil anos no passado distante. Cientistas realizaram várias outras investigações na mina de urânio e os resultados foram divulgados em uma conferência da Agência Internacional de Energia Atômica. De acordo com agências de notícias da África, os investigadores haviam encontrado vestígios de produtos de fissão e resíduos de combustível em vários locais dentro da mina.
Incrivelmente, em comparação com este enorme reator nuclear, nossos reatores nucleares modernos não são realmente comparáveis ​​tanto em design e funcionalidade. De acordo com estudos, este reator nuclear antigo era de vários quilómetros de comprimento. Curiosamente, para um grande reator nuclear como este, o impacto térmico em relação ao ambiente foi limitado a apenas 40 metros nos lados. O que os pesquisadores descobriram foi ainda mais surpreendente, são os resíduos radioativos que ainda não se moveram fora dos limites do local, eles ainda são mantidos no lugar graças à geologia da área.

O que é surpreendente é que uma reacção nuclear tinha ocorrido de um modo que o plutónio, o subproduto, foi criado e a própria reação nuclear foi moderada automaticamente. Isso é algo considerado como um "santo graal" para a ciência atômica. A capacidade para moderar a reacção significa que uma vez que a reacção foi iniciada, foi possível para aproveitar a potência de saída de um modo controlado, com a capacidade de prevenir explosões catastróficas ou a libertação da energia de uma única vez.

Os pesquisadores batizaram o Reactor Nuclear em Oklo um "reator nuclear natural", mas a verdade sobre isso vai muito além de nossa compreensão normal. Alguns dos pesquisadores que participaram do teste do reator nuclear concluiram que os minerais tinham sido enriquecido no passado distante, cerca de 1,8 bilhões de anos atrás para produzir espontaneamente uma reação em cadeia. Eles também concluíram que a água tinha sido usado para moderar a reação da mesma maneira que os reatores nucleares modernos usam eixos de grafite-cadium que impedem o reator de entrar em estado crítico e explodir. Tudo isso, "na natureza".

No entanto, o Dr. Glenn T. Seaborg, vencendor do Prêmio Nobel  de Comissão de Energia Atômica  por seu trabalho na síntese de elementos pesados, ressaltou que para o urânio  "queimar" em uma reação, as condições devem ser exatamente certas. Por exemplo, a água envolvida na reação nuclear deve ser extremamente pura. Mesmo algumas pequenas partes por milhão de contaminantes irá "envenenar" a reação, levando-o a um impasse. 

Vários especialistas falaram sobre o incrível Reactor Nuclear em Oklo sendo assim uma das descobertas mais misteriosas da humanidade. Em tempos remotos uma civilização mais avançada que a nossa habitou nosso planeta? Para onde foram? Podemos encontrar vestígios dela na atualidade? 

Fontes : http://www.scientificamerican.com/article/ancient-nuclear-reactor/

http://large.stanford.edu/courses/2013/ph241/masters2/ 

Caminhoneiro reage a assalto e esmaga carro cheio de bandidos. Veja o vídeo.

O brasileiro não aguenta mais ser assaltado por políticos e por bandidos, nas ruas. Contra o primeiro, a situação ainda é difícil mas, contra o segundo, ainda se pode fazer alguma coisa.
Quatro bandidos tentaram assaltar um caminhão boiadeiro e três deles acabaram mortos. O motorista, revoltado após ter seu caminhão perseguido e cercado pelos bandidos, reagiu e passou por cima do veículo dos assaltantes.
Segundo a polícia, três morreram na hora esmagados e o outro mesmo machucado conseguiu fugir pelo mato.
Veja o vídeo:
Fonte

Físicos do CERN capturam a luz da antimatéria pela primeira vez

Pela primeira vez, os físicos mostraram que os átomos de antimatéria parecem emitem o mesmo tipo de luz que os átomos de matéria normal emitem quando iluminados com lasers, segundo um novo estudo. 

Uma das grandes questões remanescentes sobre o nosso Universo é por que há muito mais matéria do que antimatéria. Credidos: GiroScience / Shutterstock.com 
Medidas mais precisas desta luz emitida podem descobrir pistas que ajudariam finalmente a resolver o mistério de por que há menos antimatéria do que matéria normal no universo, disseram os pesquisadores.

Para cada partícula de matéria normal, existe um anti-matéria homóloga com a mesma massa, mas com carga eléctrica oposta. As antipartículas do elétron e do próton, por exemplo, são os pósitrons e antiprótons, respectivamente.

Quando uma partícula encontra sua antipartícula, elas se aniquilam mutuamente, emitindo uma explosão de energia. Um grama de antimatéria aniquilaria um grama de matéria e iria liberar cerca de duas vezes mais  energia que a bomba nuclear lançada sobre Hiroshima, Japão. (Você não tem que se preocupar com bombas de antimatéria aparecendo tão cedo; pesquisadores estão muito longe de criar qualquer coisa próxima de um grama de antimatéria.)

Permanece um mistério do porquê que há muito mais matéria do que antimatéria  no universo. O Modelo Padrão da física de partículas - ainda a melhor descrição de como os blocos de construção básicos do universo se comportam - sugere que o Big Bang deve ter criado quantidades iguais de matéria e antimatéria. 

Luz sobre a antimatéria

Os cientistas gostariam de saber mais sobre a antimatéria para ver se ela se comporta de forma diferente a partir de matéria de uma forma que poderia ajudar a resolver o enigma do porquê do universo ter tão pouca antimatéria.

Um conjunto experimentos-chave envolvem o brilho de lasers em átomos de antimatéria, que podem absorver e emitir luz - muito parecido com o que os átomos de matéria regular fazem. Se os átomos de anti-hidrogênio emitirem um espectro de luz diferente do que átomos de hidrogênio, tais diferenças espectrais poderiam produzir insights sobre outras maneiras de descobrir as diferenças entre matéria e antimatéria, disseram os pesquisadores.

Agora, pela primeira vez, os cientistas utilizaram lasers para realizar uma análise espectral de átomos de anti-hidrogênio.

"Eu gosto de chamar isso o Santo Graal da física de antimatéria", disse o co-autor do estudo, Jeffrey Hangst, físico da Universidade de Aarhus, na Dinamarca. "Eu tenho trabalhado por mais de 20 anos para tornar isso possível, e este projeto está finalmente se concretizando depois de muitas etapas difíceis."

Os investigadores fizeram experimentos com anti-hidrogênio, que é o átomo de antimatéria mais simples, tal como o átomo de hidrogênio, que é o mais simples de matéria normal. Átomos de anti-hidrogênio são, cada um, compostos por um antipróton e um pósitron.

Criar  antimatéria o suficiente para que os investigadores examinem provou altamente desafiador. Para criar átomos de anti-hidrogênio, os pesquisadores misturaram nuvens de cerca de 90.000 antiprótons com nuvens de cerca de 1,6 milhões pósitrons (ou antielétrons), produzindo cerca de 25.000 átomos de anti-hidrogênio por tentativa, usando o aparelho de alfa-2, que é um sistema de aprisionamento e geração de antimatéria, localizado na Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN), na Suíça.
Depois que os pesquisadores criaram os átomos de anti-hidrogênio, "você tem de segurá-los, e isso é muito difícil", disse Hangst. O anti-hidrogênio é eletricamente neutro, o que significa que não pode ser mantido no lugar usando campos elétricos", e você tem que mantê-lo longe da matéria, por isso tem que ser mantido em alto vácuo", disse ele. Além disso, ao manter a antimatéria em temperaturas próximas do zero absoluto (menos 459.67 graus Fahrenheit, ou menos 273,15 graus Celsius), os movimentos dos átomos de anti-hidrogênio ficam mais lentos e, assim, eles ficam mais fáceis de segurar.

Os pesquisadores prenderam átomos de anti-hidrogênio  em campos magnéticos muito fortes. "Agora podemos armazenar cerca de 15 átomos de anti-hidrogênio em um dado momento", disse Hangst.

Em seguida, ele emitiram um laser sobre o anti-hidrogênio, o que fez com que os átomos emitissem luz. Os cientistas, em seguida, mediram o espectro da luz do anti-hidrogênio com uma precisão de cerca de algumas peças em 10^-10 ou seja, um 1 com 10 zeros à esquerda. Em comparação, os pesquisadores atualmente podem medir essas propriedades de hidrogênio a uma precisão de poucas partes em 10^15. "Queremos medir anti-hidrogênio com a mesma precisão que o hidrogênio, e não vemos razão por que não podemos fazer isso no futuro", disse Hangst.

Os espectros de luz de hidrogênio e anti-hidrogênio podem ser parecidos.

No entanto, a medição do anti-hidrogênio com maior precisão pode, em última análise, revelar diferenças entre matéria e antimatéria que poderiam resolver o mistério da antimatéria em falta e levar a mudanças revolucionárias no Modelo Padrão. "Este é um trabalho que realmente pode mudar o jogo", disse Hangst.

Os cientistas detalharam suas descobertas on-line em 19 de dezembro na revista Nature.

Artigo original [Livescience]