Seguidores

Visitas

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

O que um impacto de asteroide no oceano poderia significar para a vida na Terra?



Ao considerar a possibilidade de um impacto entre um asteroide e a Terra, rapidamente pensamos num cenário catastrófico com milhões de mortes e destruição.
No entanto, dado o fato de que 70% de nosso Planeta é composto por água, seria mais provável que a gigante massa destrutiva atingisse algum ponto dos oceanos. De qualquer forma, o que isso significaria para humanidade? Conforme apontado pela Science Alert, e de acordo com um estudo feito por cientistas do Laboratório Nacional de Los Alamos, a resposta é um pouco complicada.

Laboratório Nacional de Los Alamos

Por meio de simulações em 3D, a equipe tentou ver exatamente que nível de ondas de choque e de dispersão de água seriam causadas pela queda de um asteroide no mar – e se tudo isso seria suficiente para desencadear um tsunami. No entanto, enquanto um impacto inicial poderia gerar ondas de centenas de metros – ou até mesmo quilômetros de altura -, a menos que ocorresse perto de uma costa, um tsunami devastador seria improvável.

As ondas de choque geradas por impactos pontuais, como um asteroide, são consideradas relativamente curtas em comparação a distúrbios mais generalizados, como um terremoto, por exemplo. Essa diferença significa que as ondas resultantes de um impacto por asteroide não se propagariam em uma grande distância.
Considere que um asteroide caia no oceano dentro de um limite entre 10 a 20 quilômetros de distância de uma praia bem populosa, os efeitos seriam devastadores, resultando em grandes inundações, ondas de choque no ar, altas temperaturas e ventos com força de furacões. Agora, se este mesmo asteroide fosse destruído ainda no ar, a enorme quantidade de fragmentos menores – os chamados airbust – modificaria bastante estes efeitos.

Enquanto que os fragmentos resultariam em milhares de impactos moderados sobre uma área ainda maior, as ondulações de choque seriam menores, o que diminuiria as chances de tsunamis. Contudo, embora a incidência de tsunamis seja baixa, se um asteroide atingisse o mar, ainda correríamos grandes riscos. Uma vez que atingisse a água, poderia causar vaporização e esse vapor, ao atingir a estratosfera, pode permanecer ali por meses ou anos. Considerado que o vapor da água é um gás de efeito estufa, o evento poderia levar a efeitos climáticos duradouros.

Os resultados do estudo em questão foram apresentados recentemente em um encontro, American Geophysical Union Fall Meeting, em San Francisco, mas ainda não foram publicados. No entanto, uma vez que outros cientistas revisem os dados, teremos mais certeza sobre o que foi proposto.


Science Alert ] [ Foto: Reprodução / Science Alert ]

Nenhum comentário:

Postar um comentário