Seguidores

Visitas

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Bebês negros eram usados como iscas para caçar jacarés nos EUA


Durante a escravidão e até meados do século vinte, bebés negros foram usados como isca de jacaré no Norte e Centro da Florida nos Estados Unidos de América.
Os caçadores de jacarés roubavam os filhos quando as mães, muitas delas escravas estavam ocupadas com seus afazeres diários. Algumas seriam crianças de um ano de vida ou menos. Outras crianças eram roubadas à noite mediante ataques brutais contra seus pais, de seguida amarravam uma corda em volta do pescoço e ao redor de seu torso junto de uma árvore no pântano ou eixavam-nas em gaiolas como se fossem galinhas.
Como as crianças choravam e gritavam os jacarés apareciam rápido para devora-las, em questões de minutos os jacarés estavam sobre elas. O caçador que se mantinha distante não dava conta da presença do jacaré, já que a caça era realizada a noite, então somente quando o animal atacava a criança e tentava arrasta-la no pântano para devorar ou quando começava a come-la viva é que os caçadores conseguiam se aperceber da presença do mesmo através dos movimentos e esticar da corda. Somente nesta altura que eles partiam em direção ao bebe e matavam o animal.

Bebês negros eram usados como iscas para caçar jacarés
A revista Time, em 1923, relatou que os caçadores da cidade de Chipley, Flórida, praticavam tais atos, mas a cidade negou-o como “uma mentira boba, falsa e absurda.”
A prática tem sido documentada em pelo menos em três filmes: “Alligator Bait” (1900) e “O ‘Gator eo pickaninny” (1900). E a história de dois meninos negros que serviam de isca de jacaré foi contada em “Fúria Untamed” (1947).
Na verdade, o termo “isca de jacaré” era comum em todo o Sul dos estados unidos, pelo menos, da década de 1860 até ao ano de 1960 foi um insulto racial e uma ameaça que os brancos usavam para “domesticar” as crianças negras resilientes.
Mas na década de 1940 no Harlem, em New York “, isca de jacaré” aplicada aos negros de qualquer idade – particularmente aqueles que eram da Flórida.
Finalmente, em termos de iconografia, a partir de, pelo menos, a década de 1890 até os anos 1960, as crianças negras eram frequentemente retratado como isca de jacaré nos brinquedos para as crianças brancas, saboneteiras, escovas de dentes, cinzeiros e, especialmente, em cartões postais enviados através do correio dos EUA.
Whites Used Black Babies as Alligator Bait

Quem quiser saber mais sobre o assunto só visitar os links abaixo:
http://www.authentichistory.com/diversity/african/3-coon/7-alligator/


27 comentários:

  1. Respostas
    1. Eu alem de dúvida queria 1 so prova....

      Excluir
  2. Se hoje a "civilizada" polícia amerericana mata negros, é a "evolução" da história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vive pra falar merda...
      Dos 2491 negros mortos nos EUA, 2245 foram mortos por outros negros, ou seja, 90%.

      Excluir
    2. Viver pra falar merda mesmo!
      Qual fonte dessa informação?
      2245 negro foram morto só nas travessias.

      Excluir
    3. 90% não.. enfeite mais sua estória, diga 90,12444801284624648735447611401 %

      Excluir
    4. Kkkkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  3. Quanta mentira e ainda tem gente que acredita. Em vez de ficarem contando mentiras com notícias falsas, porque não falam dos milhares de cristãos mortos pelo estado islâmico no oriente médio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. prefiro que falem dos mortos pelos cristãos durante a Inquisição e “colonização” dos continentes não-europeus.
      e eu não duvido nada que isso ai seja verdade.

      Excluir
    2. Estado Islâmico??
      Foi criado pela Dona KILLary Clinton para atender os interesses americanos no oriente médio.

      Excluir
    3. Deve ser mentira mesmo. Primeiro, os EUA nunca foram racista. Segundo, sempre valorizaram as minorias (um de seus lemas prediletos era "Índio bom é índio vivo").

      Excluir
    4. a "santa inquisiçao" criada pale "santa madre igreja catolica una e imaculada( que piada! kkkkkkk) matou muito mais que o estado Islâmico. alguem aqui ja leu sobre o O Massacre da noite de São Bartolomeu?

      Excluir
    5. Ainda bem que alguém lembra que país evangélico é outro nível, pra mim já é suficiente o que deve ser verdade: a fabricação de brinquedos com tema tão preconceituosamente humilhante.

      Excluir
    6. Vai comer na bilha seu porco. Porque não falas também dos muitíssimo mais muçulmanos que o daesh mata?.... Só te interessam os cristãos brancos?.... Devias ter nascido negro e escravo para perceberes o que faziam aos negros.

      Excluir
  4. Souza Júnior Souza! Os EUA nunca foram racistas? ahahaha isso e a piada do ano. Sai la da caverna onde vives, ainda hoje o são e conflitos raciais sao acontecimentos do dia.

    ResponderExcluir
  5. Nao percebeu q ele foi sarcástico?

    ResponderExcluir
  6. Jogavam famílias inteiras para alimentar leões para a diversão da plebe em Roma. Crianças eram sacrificadas nos altares maias. Usam mulheres e crianças como escudos humanos. Decapitam no Irã. Mataram trocentas mil crianças em câmaras de gás. Meninas chinesas ainda são afogadas. Mulheres ainda são submetidas à mutilação genital. Come-se fetos de patos! Come-se novilhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E isso justifica outras atrocidades?... São mais atrocidades a condenar. Para o cidadão comum a maldade humana parece inimaginável, mas a verdade é que o cidadão comum, bem manipulado é capaz de todas as atrocidades....

      Excluir
  7. se isso tudo for verdade , tantas crueldade nos seres o humanos sao uns mostros mesmo.

    ResponderExcluir
  8. se isso tudo for verdade , tantas crueldade nos seres o humanos sao uns mostros mesmo.

    ResponderExcluir
  9. HAHAHAHAHAHAHAHAA. OPHAA! Foi mau aí Parceiro

    ResponderExcluir
  10. Mas hoje em dia isso ainda acontece aki no brasil hoje em dia as crianças negras são usadas como isca pelo trafico e a policia são os jacarés que atacam.

    ResponderExcluir
  11. Geoffrey Blainey em Uma Breve História do Cristianismo.

    ResponderExcluir