Seguidores

Visitas

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Novas análises sugerem que o planeta Proxima b possa realmente ser habitável!

Em um novo estudo previsto para ser publicado na próxima edição da Astrophysical Journal Letters, pesquisadores liderados por uma equipe do Laboratório de Pesquisa de Marselha (CNRS / Université Aix-Marseille), na França, disseram ter encontrado uma variedade de potenciais cenários para o planeta recém-descoberto Proxima b, de acordo com informações do jornal Daily Mail.

A descoberta do planeta, que orbita uma zona habitável próxima de nosso Sol, foi anunciada em agosto do ano passado, com muitos cientistas esperando que, em breve, ele possa se tornar o primeiro exoplaneta a ser visitado por robôs terrestres.

A partir de observações, foi determinado que Proxima b orbitava sua estrela principal, a anã-vermelha Proxima Centauri (1.000 vezes mais fraca do que nosso Sol), a uma distância de 0,5 unidades astronômicas – apenas um décimo da distância entre Mercúrio e o Sol. Apesar dessa proximidade, acredita-se que o planeta ainda seja frio o suficiente para abrigar água em estado líquido em sua superfície, além de uma atmosfera fina de gás semelhante à nossa.

De acordo com os pesquisadores, um dos cenários possíveis é que Proxima b seja um “planeta oceano”, com águas semelhantes às vistas nas luas geladas de Júpiter e Saturno. Análises também determinaram que, considerando as dimensões do exoplaneta rochoso – que pode ter uma massa apenas 30 por cento maior do que a da Terra – juntamente com as propriedades de sua superfície, ele poderia ser capaz de suportar vida.
Outro cenário sugere que Proxima b seja um planeta muito denso, com um núcleo de metal que corresponderia a 65% de sua massa, enquanto que o resto seria composto por um manto rochoso de silicato. Metade de sua extensão seria água, a outra metade seria composta por rochas. Dessa forma, sua aparência seria semelhante à de Mercúrio.

Uma outra composição considerada pelos pesquisadores é que o planeta poderia ser completamente seco, uma vez que os raios-x e ultravioleta de sua estrela podem causar a evaporação da água.

O que faz de Proxima b ser considerado tão único é que ele é foi encontrado em uma zona habitável de sua estrela, o que significa que pode haver água em estado líquido em sua superfície. Ainda, ele está localizado relativamente próximo da Terra, de modo que missões para examinar sinais de vida já estão sendo planejadas, podendo acontecer dentro de algumas décadas.
Logo, medições futuras poderão determinar a abundância de elementos pesados, como magnésio, ferro e silício, bem como determinar a verdadeira composição do planeta e a presença de radiação.

Utilizando a tecnologia espacial que tempos, levaria pelo menos 15.000 anos para chegarmos até Proxima Centauri. No entanto, projetos mais ambiciosos – como o Starshot Project – pretendem enviar ao sistema, robôs minúsculos impulsionados por poderosos lasers baseados na Terra. Estima-se que eles levariam cerca de 20 anos para chegar até lá, viajando a uma velocidade de aproximadamente 60.000 quilômetros por segundo. Os robôs seriam capazes de retransmitir dados sobre o sistema de estrelas e até mesmo algumas fotos do planeta.
Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / ESO ]

Nenhum comentário:

Postar um comentário